Tipos de tratamentos para Ginecomastia


A Ginecomastia, infelizmente, é desconhecida pela maioria da população, incluindo a população masculina que sofre com esse problema. Antes de qualquer coisa, vamos deixar bem claro o que é Ginecomastia.

O que é Ginecomastia?

A Ginecomastia é uma patologia muito mais comum do que se imagina, caracterizada pelo desenvolvimento excessivo das glândulas mamárias em homens, resultando no aumento do peito, que em alguns casos, pode provocar a secreção de leite (galactorreia).

Conhecida também como “hipertrofia mamária, a ginecomastia é uma neoplasia que pode ser benigna ou maligna.

Tipos e Causas da Ginecomastia

A Ginecosmatia pode ser causada por diversos fatores, o que a classifica em um tipo. Para poder identificar qual fator causou a ginecomastia e saber qual tipo de tratamento submeter o pacientes, é necessário estudar o seu histórico, saber se faz ou fez usos de drogas e medicamentos específicos, além de exames clínicos e laboratoriais.

A principal causa da ginecomastia está associadas a desequilíbrios hormonais que são liderados pela síntese das células adiposas (as de gordura). Ou seja, quando há redução do hormônio masculino (testosterona) e aumento do hormônio feminino (estrogênio). A hipertrofia mamária pode ser classificada em três tipos de disfunção: A Disfunção Comum ou Verdadeira, a paseudoginecomastia ou disfunção falsa e a disfunção Mista.

Disfunção comum ou verdadeira: Causada por alterações hormonais é caracterizada pela hipertrofia e hiperplasia benigna das glândulas mamárias, que normalmente é tratada com medicamentos ou remoção cirúrgica da glândula.

Disfunção falsa ou Pseudoginecomastia: É caracterizada pelo acúmulo de gordura, tecido adiposo nas mamas. Esse tipo de disfunção regride com mais facilidade, pois sendo tecido gorduroso, pode ser eliminado com dietas e exercícios físicos. ou através de uma lipoaspiração local.

Disfunção Mista: Como o nome ja denota, se caracteriza pela hipertrofia das glândulas e acúmulo de gordura nas mamas. Esse tipo de disfunção, muitas vezes, só regride através de intervenção cirúrgica, removendo as glândulas mamárias e a gordura, através de uma lipo.

Grau e importância do diagnóstico da ginecomastia

A ginecomastia pode ser classificada por grau: Grau I, Grau II , Grau III e Grau IV. É importante que um cirurgião plástico realize o diagnóstico correto, a ginecomastia pode ser confundida por ter sintomas bem parecidos com os Carcinomas de mamas, lipomas, neurofibromas e obesidade. Dependendo do tipo de disfunção e grau, ele irá aconselhar e prescrever o tratamento correto.

Grau I -> Caraterizada como uma disfunção comum, com o aparecimento de um “botão”ou “pedrinha”, localizado na aréola, um tecido glandular de fácil remoção. Proporcionando um aumento mamário discreto e protrusão limitada à região areolar.

Grau II -> A disfunção pode ser classificada como mista, pois além da hipertrofia das glândulas mamárias, pode ocorrer o acúmulo de gordura na região, havendo um aumento evidente do volume glandular.

Grau III -> Também pode se enquadrar como uma disfunção mista, pois também existe o crescimento glandular tanto quanto o acúmulo de gordura na região, mas este é caracteriza por um grande acúmulo de gordura e crescimento das glândulas mamárias, o que ocasiona flacidez e excesso de pele no local. Nesses casos são necessários uma mamoplastia redutora, para reconstrução da mama.


Grau IV -> A partir daqui, além do crescimento das glândulas mamárias, o acúmulo de gordura é intensificado e o excesso de pele e flacidez é bem aumentado, ocasionando queda das mamas.Nesses casos são necessárias uma lipoaspiração e a mamoplastia redutora, para reconstrução da mama.

Tratamentos para Ginecomastia

Vamos deixar claro que o tratamento muitas vezes pode ser opcional,  quando o crescimento das mamas não causa constrangimento ao paciente e não coloca sua saúde em risco, é claro.

Atualmente existem três tipos de tratamento da Ginecomastia: Tratamento Etiológico da Ginecomastia, Tratamento Clínico da Ginecomastia e o Tratamento Cirúrgico da Ginecomastia.

Tratamento Etiológico da Ginecomastia

Quando apresenta a doença por mais de um ano ela dificilmente regride, alguns medicamentos que causam Ginecomastia devem ser suspensos e/ou trocados por outros que não causam este efeito.

Tratamento Clínico da Ginecomastia

É um tratamento feito através de medicamentos, dentre eles os Andrógenos, Antiestrógenos e os Inibidores da aromatase. Vamos explicar passo a passo o que cada um faz.

Andrógenos: Compreendem a testosterona, di-hidrotestosterona e danazol.

Antiestrógenos: Utiliza o citrato de Clomifeno, tamoxifeno e raloxifeno.

Inibidores da aromatase: São letrozol, anastrozol, fadrozol e exemestane.

Infelizmente ainda não são muitos estudados os medicamentos que poderão algum dia ajudar a realmente a acabar com esta doença.

Tratamento Cirúrgico da Ginecomastia

Esse é o último recurso para quem já tentou os tratamentos mencionados anteriormente, ou para quem já está em um grau muito avançado ou apresenta o quadro de ginecomastia por mais de 2 anos, e a prescrição médica é o tratamento cirúrgico. Além de acabar com o problema, o material coletado pode ser examinado e afastar ou confirmar as suspeitas de  desenvolvimento de uma neoplasia malígna.

As intervenções prescritas para um paciente de ginecomastia são: Lipoaspiração, remoção cirúrgica da glândula mamária e mamoplastia redutora. Cada paciente terá sua prescrição individual, dependendo do grau da ginecomastia, podendo ocorrer a junção de duas ou mais técnicas, ou seja, pode ocorrer a remoção da glândula mamária + lipoaspiração, por exemplo, nos pacientes que apresentarem necessidade do procedimento. isso será decidido e discutido junto com o seu médico.

Para se submeter a um tratamento cirúrgico, você deve estar saudável, possuir peso dentro do esperado, já estar com o desenvolvimento da mama estabilizado e não fumar.

Qual especialista deve procurar para tratar a Ginecomastia

O especialista indicado para esse tipo de procedimento é o cirurgião plástico, além de diagnosticar qual tipo e grau de ginecomastia, ele poderá prescrever o tratamento mais adequado.

Como previnir a ginecomastia

Para previnir o surgimento da ginecomastia, alguns hábitos devem ser adotados, dentre eles o mais importante é não utilizar suplementação hormonal sem o acompanhamento de um médico. Não ingerir suplementos nutricionais que contenham androstenediol ou androstenediona, assim como quaisquer drogas para aumento da massa muscular. E interromper o consumo de drogas, como a maconha, caso use. Além disso, a manutenção do peso corporal através de uma dieta balanceada e a prática de atividades físicas regulares podem ajudar a previnir o desenvolvimento da ginecomastia.


Café Verde para emagrecimento RÁPIDO!
Clique aqui e veja o video!

2 Comentários

  1. Marcos Paulo says:

    Muito bom o site bem informativo valeu galera.

  2. Elisson thiago costa da trindade says:

    Quem já possui a ginecomastia de forma natural .
    Quis deste medicamentos é adequado para reverter ou diminuir a ginecomastia.
    Letrozol ou anastrozol .

Deixe um comentário