Gordura saturada faz mal?


Saiba agora mesmo se a gordura saturada faz mal para Saúde:

Um dos macronutrientes presentes na dieta do ser humano são os lipídios. Nutrientes esses essenciais para a vida e que possuem características e funções específicas, deixando-os em um patamar de complexidade bastante alto em todos os aspectos.

Lipídios são substâncias orgânicas insolúveis em água, ou seja, insolúveis no que mais temos em nosso corpo, fazendo então com que sua singularidade se mostre logo de cara. Compostos, esterificados e em outras formas e, tendo funções como a constituição de membranas celulares, de produção hormonal, de isolamento térmico, de transporte de substâncias insolúveis em água entre muitas outras, esses são nutrientes indispensáveis em uma dieta saudável.

Entre as inúmeras classificações que podemos dar aos lipídios, ao que nos interessa hoje é a classificação a respeito da saturação das cadeias que constituem os lipídios. E, para que possamos entender um pouco melhor, cabe-nos explicar primeiro o que é uma molécula de triacilglicerol, visto que “lipídio” na realidade é um termo geral. Triacilglicerol portanto, é um termo relativamente genérico também ao que se refere a forma com que grande parte dos lipídios estão no corpo humano. Ela é formada por uma molécula de glicerol unida com três cadeias de ácidos graxos que podem possuir diversos tamanhos. Normalmente, outras moléculas, quando associadas com a de glicerol, podem constituir outras fórmulas lipídicas, tais quais a de fosfolipídios, que possuem um grupo fosfato em uma dessas cadeias.

Desta forma, essas cadeias laterais são basicamente constituídas por moléculas de carbono e hidrogênio, sendo os carbonos colocados ao centro das ligações, e os hidrogênios “dependurados”. Agora imagine que há hidrogênios que faltem para completar as 4 ligações que cada carbono deve fazer. Sendo duas delas com os outros carbonos (com exceção do primeiro carbono) e duas com hidrogênio, se temos apenas um hidrogênio, então faltará uma ligação para completar a “saturação” daquele carbono. A partir disso então, denominamos as gorduras “insaturadas”, seguindo os prefixos de monoinsaturadas (apenas uma saturação que falta) ou poliinsaturadas (faltando mais de uma ligação). Por conseguinte, se temos todas as ligações, então denominamos aquela como uma gordura “saturada”. Além disso, a respeito do tamanho das cadeias laterais, então podemos denominar aquela gordura como de cadeias curtas, médias, longas e muito longas.

Nos últimos tempos, tem-se estudado muito a respeito dos lipídios e da sua real necessidade na dieta. Realmente, a partir do momento que se conheceu apenas o lado ruim da maioria dos lipídios e, começou-se a associar o ganho de peso e o estoque de gordura com os lipídios, então eles se tornaram vilões. Acontece que, não podemos esquecer que outros nutrientes (inclusive as proteínas, pois, muitos ainda acreditam que isso não possa acontecer) podem ser convertidos em lipídios para então serem armazenados. Em especial, até poderíamos dizer que os carboidratos são facilmente convertidos como gordura, principalmente caso os estoques de glicogênio tanto hepático como muscular estejam relativamente altos. Se o corpo realmente sabe fazer algo muito bem, isso se chama: Armazenar para possíveis períodos de necessidade. E, claro, isso talvez tenha sido um dos principais mecanismos que o homem, durante seu desenvolvimento que o manteve vivo, principalmente nos períodos de escassez.


Esse lado ruim que muitas vezes é apresentado dos macronutrientes e, não falo apenas dos lipídios, mas dos carboidratos (com aquela história de que comer carboidrato engorda), das proteínas (com aquelas babaquices sobre problemas renais), faz com que as pessoas comecem a aderir dietas que não são convenientes para o seu progresso, ou seja, faz com que essas mesmas pessoas comecem a adquirir hábitos e estilos de alimentação nada saudável. E, não é a toa que a um tempo atrás não era nem um pouco incomum vermos meninas de 14 ou 15 anos que não tinham sinais de desenvolvimento mamário ou tampouco menstruação pela deficiência na produção hormonal causada pela restrição de lipídios na dieta…

Fazendo um link com esse último parágrafo e já religando o texto, que é sobre gorduras saturadas, por conseguinte esta talvez tenha sido a mais condenada nos últimos tempos. É indiscutível que grandes quantidades de gordura saturada quando ingeridas não farão bem. E é indiscutível também que, normalmente essas gorduras estão presentes em derivados de animais que, por sua vez também possuem colesterol. Para completar, as gorduras saturadas ainda tem maior facilidade para aderirem-se nas artérias, favorecendo possíveis doenças cardiovasculares.

A gordura saturada, por estar em alimentos de, normalmente alta densidade energética como ovos, cortes gordos de carne, cremes de leite e o próprio leite integral, queijos gordos e outros, também podem ser associadas com a obesidade. Não que a gordura saturada em si possa causar obesidade, mas, se olharmos pelo lado de que o indivíduo consome altas quantidades de gordura saturada presentes nesses alimentos, então, provavelmente podemos pressupor que sua ingestão calórica também é alta e, claro, os hábitos alimentares são inadequados.

Mas aí, como tudo que se passa na mídia, hoje defende-se o uso do óleo de côco, por exemplo. Mas, o óleo de côco basicamente é composto por GORDURA SATURADA. E isso é ruim? Claro que não. O grau de saturação, como dito, representa apenas que todas as ligações dos carbonos estão completas com os hidrogênios e não que exista um “mini-monstro” na molécula de gordura… Portanto, vemos que, quando é conveniente, a gordura saturada é massacrada e condenada, porém, quando não, ela é tida como a descoberta e a salvação do século…

Porém, a gordura saturada, apesar dos malefícios, quando consumida em excesso, é indispensável para o corpo. Das suas principais funções, podemos destacar a produção hormonal que depende dela. E, se levarmos pelo lado de que hormônios são importantes e indispensáveis reguladores do metabolismo e, o sistema endócrino um grande braço do sistema nervoso central, para que possa comandar as funções do corpo de maneira eficiente, vamos a importância que ela exerce, mostrando que seu consumo é essencial.

Hoje, sabe-se que em torno de 10% do total calórico de uma dieta, principalmente para o praticante de atividades físicas, deve ser composta de lipídios saturados. Assim, negligenciar esse consumo não trará benefícios, mas sim, grandes malefícios.

Tudo em excesso fará mal, por isso, ainda vale a regra da moderação e do equilíbrio, atingindo níveis cada vez melhores no emagrecimento e, claro, conquistando cada vez mais saúde!


Café Verde para emagrecimento RÁPIDO!
Clique aqui e veja o video!

Deixe um comentário